Depoimentos, Diversão para toda família, Fica a dica, Sem categoria

Mãetopia assiste A Bela e a Fera em sessão especial

null
A Bela e a Fera

A história e os personagens que o público conhece e adora ganham vida de forma espetacular em “A Bela e a Fera”, da Disney, uma adaptação em live-action do clássico de animação do estúdio que conta com um elenco extraordinário, incluindo: Emma Watson, Dan Stevens, Luke Evans, Kevin Kline, Josh Gad, Ewan McGregor, Stanley Tucci, Audra McDonald, Gugu Mbatha-Raw, Hattie Morahan e Nathan Mack com Ian McKellen e Emma Thompson.

A Disney Brasil fez uma sessão exclusiva de cinema (chamada de cabine), no dia 14 de março, que reuniu jornalistas e blogueiros de diferentes veículos. A Mãetopia teve a honra de participar e acabar com a ansiedade antes, já que o filme estreia apenas no dia 16 de março.

Vou colocar aqui minhas impressões e fazer de tudo para não dar spoilers, mas se você não quer saber de muita coisa, melhor parar a leitura aqui!

Bom, pra começar, é um filme Disney: não tem como ser ruim. É MARAVILHOSO!

O filme A Bela e a Fera sempre fez parte da minha vida e ficou mais intenso quando a minha filha Alice tinha entre 2 e 3 anos e assistia ao filme todos os dias. Todos em casa já sabiam as falas e ordem das cenas e confesso que isso me deixou ainda mais ansiosa para ver o filme versão 2016.

Minhas observações:

  • Algumas cenas do filme são iguais ao desenho. Destaque para a cena da música Bonjour na vila, o Gaston na taverna, quando a Bela janta no castelo ao som de ‘Be our guest’, e a clássica cena da Bela no vestido amarelo dançando com o Fera;
  • A transformação da Fera em Príncipe também é fiel ao desenho;
  • Há cenas do desenho que foram suprimidas no filme;
  • As cenas são mais longas e têm mais detalhes que o desenho;
  • Há cenas novas que contam algumas histórias, entre elas porque o príncipe é mimado e arrogante, como a mãe da Bela morreu e o local onde a Bela morava quando era uma bebê;
  • Há também músicas novas cantadas pela Bela e pela Fera, todas de arrepiar;
  • Há personagens novos;
  • A Emma Watson nasceu para ser a Bela, não consigo imaginar outra atriz como a Bela;
  • O Gaston é muito mais malvado no filme que no desenho;
  • O desastrado braço-direito de Gaston, LeFou, ficou mais engraçado no filme, fazendo a plateia rir por diversas vezes. Além disso, muitas vezes ele parecer ser a consciência do Gaston. Mas, durante o filme, percebemos ainda que ele tem um bom coração;
  • O final de LeFou agradou a plateia e com certeza vai agradar a comunidade GLS;
  • Enfim, é um filme para criança, é um filme para adulto! Vale muito a pena!!!

Curiosidades do filme:

  • Dirigido por Bill Condon e baseado no filme de animação de 1991, “A Bela e a Fera” tem roteiro de Stephen Chbosky e Evan Spiliotopoulos;
  • O conto clássico de “A Bela e a Fera” – e sua poderosa mensagem de que a beleza vem de dentro – data da França do século dezoito com a primeira versão publicada do conto de fadas, “La Belle et la Bête”, de Gabrielle-Suzanne Barbot de Villeneuve;
  • A Bela e a Fera” foi lançado durante a segunda era de ouro de animação da Disney, junto com “A Pequena Sereia”, “O Rei Leão” e “Aladdin”, entre outros, e foi imediatamente aclamado como uma obra-prima cinematográfica;
  • A Bela e a Fera” foi o primeiro filme de animação a receber uma indicação ao Oscar de melhor filme e venceu dois Oscars (melhor música original e melhor canção), três Globos de Ouro e quatro GRAMMY Awards, entre inúmeros outros prêmios;
  • Foi o primeiro filme de animação a ter faturamento de mais de $100 milhões em bilheterias no seu lançamento inicial e o primeiro filme de animação da Disney a se tornar uma produção musical de palco, que subsequentemente ficou na Broadway por 13 anos e foi traduzida para oito idiomas, sendo interpretada em mais de 20 países;
  • O filme apresenta um vislumbre do que era a vida do Príncipe antes de ele se tornar a Fera e o que o tornou um homem que merece ser amaldiçoado. O filme também explora a vida da Bela antes de ela ir ao castelo e conhecer a Fera e ajuda a explicar o que os dois têm em comum e o que os tornou o que eles são hoje;
  • Antes de 1991, a maioria das personagens femininas dos filmes de animação era vista como passiva e de certa forma unidimensional, mas Bela saiu do padrão. Ela se interessa por literatura, tem seus próprios pensamentos e não se intimida facilmente, e rapidamente se tornou um poderoso exemplo para meninas no mundo todo e a primeira heroína feminista contemporânea de um filme de animação;
  • Emma Watson foi a primeira a entrar para a produção como Bela, a camponesa inteligente que anseia por aventuras;
  • Para o papel da Fera, um Príncipe mimado e arrogante transformado pela maldição de uma feiticeira, os cineastas tiveram conversas em múltiplas ocasiões e sugeriram dezenas de nomes antes de optarem por Dan Stevens;
  • Logo no início do processo de desenvolvimento do roteiro, decidiu-se expandir o prólogo da história e adicionar um novo personagem, um maestro que, junto com sua diva, está se apresentando para o príncipe em seu castelo quando o feitiço é lançado;
  • As filmagens de “A Bela e a Fera” foram feitas no Shepperton Studios nos arredores de Londres e em diversas locações exteriores no Reino Unido de maio a agosto de 2015;
  • A história se desenvolve em formato live-action, mas há uma quantidade substancial de animações e imagens geradas por computador necessárias, e foi importante para os cineastas filmar no maior número possível de ambientes o mais realista possível, já que os cenários detalhados e cuidadosamente projetados ajudam a diferenciar esse filme da versão de animação;
  • Mais de mil membros da equipe trabalharam incessantemente para construir e decorar todos os cenários imensos, fornecendo uma quantidade incrível de arte feita à mão;
  • Para o número épico de abertura do filme, “Bela”, que ocorre em Villeneuve, mais de 150 figurantes, centenas de animais, 28 vagões e inúmeros adereços e decorações para o cenário foram utilizados, cada um deles com uma quantidade incrível de detalhes;
  • Uma diferença significativa entre esse castelo e o castelo do filme de animação é o visual em evolução. O castelo no filme de animação não se altera ao longo da história, mas como estamos trabalhando com o formato live-action fomos capazes de mostrar as reações do castelo aos efeitos do feitiço à medida que o tempo ia passando;
  • O salão de baile do castelo é outro cenário gigantesco. O piso foi feito com 1.114 metros quadrados de mármore artificial e seu design se baseia em um padrão encontrado no teto do Mosteiro Beneditino na República Tcheca;
  • O quarto da Bela, assim como o salão de baile, é localizado na área de encantamento benevolente do castelo e foi projetado para que todas as menininhas o vejam como o quarto ideal de um conto de fadas. A ala oeste, onde a Fera geralmente se refugia, é o epicentro do encantamento e foi projetado no estilo barroco italiano, que é mais sinistro e escuro em sua aparência;
  • A biblioteca do castelo é baseada no design de uma célebre biblioteca em Portugal e é um ambiente-chave e relevante para um tema importante da história: a sede pelo conhecimento e o papel vital que os livros desempenham para alimentar a imaginação. O piso é feito de aproximadamente 310 metros quadrados de mármore artificial e contém milhares de livros que foram criados especialmente para a produção;
  • A floresta encantada ao redor do castelo da Fera foi construída no palco H, o maior de Shepperton, medindo 2.926 metros quadrados. A floresta, que levou 15 semanas para ser concluída, inclui árvores de verdade, cercas-vivas, um lago congelado, um conjunto de portões de gelo de 8,8 metros de altura e aproximadamente 20 mil pingentes de gelo;
  • O vestido amarelo: A ideia sempre foi fazer o vestido amarelo como uma homenagem à animação, ele foi reinterpretado e ganhou mais texturas para que se parecesse um figurino da vida real;
  • O vestido foi criado a partir de camadas múltiplas de cetim organdi levíssimo tingido de amarelo (55 metros no total), que foi cortado de modo geral em formato circular e precisou de 915 metros de fio. As duas camadas superiores foram estampadas com folhas de filigranas douradas em um padrão que acompanhava o piso em estilo Rococó do salão de baile e foi acentuado com 2.160 cristais Swarovski;
  • Na história, Garderobe, o guarda-roupas, pega ouro brilhante do teto do quarto da Bela e o pulveriza no vestido. O vestido, que levou mais de 12 mil horas para ser feito e do qual diversas cópias foram feitas, não precisou de um espartilho ou armação para que Emma Watson pudesse ter maior movimentação, já que essa Bela é mais ativa do que a Bela do filme de animação;
  • Para o figurino que o príncipe usou na sequência de abertura do filme, Durran criou um casaco e colete adornado com milhares de cristais Swarovski, que foram então escaneados pelo departamento de efeitos visuais e aplicados a Fera gerada pelo computador;
  • O espetacular número musical “Be Our Guest” ao estilo de Busby Berkeley foi desafiador do ponto de vista técnico, e levou um mês para ser filmado, seis meses de preparação e mais de um ano para ser concluído. A cena acontece na sala de jantar do castelo, que foi projetada como um palco, já que é o cenário mais teatral no filme. Todos os elementos eram reais e foram filmados com a câmera utilizando um techno-dolly, uma grua e outros equipamentos especiais de iluminação antes que as gravações pudessem ser animadas e ampliadas pela equipe de efeitos visuais na pós-produção.

Resumo do filme:

~ O Conto Tão Antigo Quanto o Próprio Tempo ~

Era uma vez um jovem Príncipe encantador (Dan Stevens) que vivia em um castelo magnífico. Ele oferecia festas extravagantes que eram frequentadas por lindas debutantes do mundo todo e era paparicado por uma equipe de serviçais que atendiam a cada desejo seu, mas o Príncipe havia se tornado insolente e egocêntrico. Quando uma velha mendiga aparece no castelo buscando abrigo da tempestade e lhe oferece uma única rosa em retorno, ele a rejeita duramente, sem saber que ela era, na verdade, uma linda feiticeira (Hattie Morahan). Para puni-lo por sua crueldade, ela lança uma maldição sobre o castelo, transformando-o em uma Fera e todos os seus habitantes em utensílios domésticos. Para reverter o encanto, ele deve aprender a amar outra pessoa e ser merecedor do seu amor antes que a última pétala de uma rosa encantada caia… caso contrário, permanecerá  uma Fera e seus funcionários permanecerão aprisionados em suas formas inanimadas no castelo por toda a eternidade.

Alguns anos depois, na pequena cidade de Villeneuve, Bela (Emma Watson), uma jovem inteligente e espirituosa, realiza suas tarefas diárias, refletindo sobre a monotonia de sua vida provinciana. Extremamente independente e em grande parte do tempo bastante introspectiva, Bela vive com seu pai, Maurice (Kevin Kline), um artista solitário, e é uma leitora ávida que sonha viver aventuras e romance em um mundo muito além dos limites de seu vilarejo francês. Os moradores da cidade, entretanto, não sabem ao certo o que pensar sobre ela, pois sendo ela tão virtuosa e gentil quanto linda, Bela permanece um completo enigma. Ela rejeita as incessantes investidas do canalha rude e arrogante Gaston (Luke Evans), que chama atenção em um estabelecimento local com seu braço-direito LeFou (Josh Gad) e tem todas as mulheres disponíveis da cidade na palma de sua mão. Gaston é apaixonado por Bela, mas ela é determinada e permanece indiferente ao seu charme.

Quando Maurice parte para o mercado e é atacado por lobos, ele acaba se perdendo na floresta e vai parar no castelo da Fera, agora mais escuro e coberto pelo gelo, onde ele se refugia.

Mas a Fera fica enfurecida ao encontra-lo invadindo o castelo e o aprisiona. Bela fica sabendo do desaparecimento de seu pai e parte em sua procura, encarando a Fera cara a cara, para quem ela suplica pela libertação de seu pai, e acaba trocando sua própria liberdade pela liberdade dele. Enquanto está presa em uma torre no castelo sinistro, Bela ouve vozes amigáveis – as vozes dos utensílios domésticos encantados, que agora podem falar como consequência do encanto. Ela é apresentada aos antigos membros dos funcionários do castelo, incluindo: Lumière (Ewan McGregor), um candelabro; Horloge (Ian McKellen), um relógio; Madame Samovar (Emma Thompson), um bule de chá; Madame de Garderobe (Audra McDonald), um guarda-roupa; Plumette (Gugu Mbatha-Raw), um espanador; e Maestro Cadenza (Stanley Tucci), um cravo. Na esperança de que Bela possa finalmente ser aquela que vai conquistar o coração da Fera, eles assistem e esperam por qualquer sinal de amor verdadeiro, mas a Fera é grosseiro e mal-educado e passou a aceitar o seu destino.

Dado seu relacionamento conflituoso, repleto de animosidade e ressentimento, um romance parece estar fora de questão, mas Bela tem uma natureza amorosa e a capacidade de ver o que outras pessoas não conseguem e começa a perceber o coração gentil do Príncipe. A Fera pode ser generoso, compartilhando sua biblioteca com ela, e cavalheiro, colocando sua vida em risco para protegê-la, e ele a faz rir. Bela é corajosa, defendendo destemidamente o seu lado, e mostra compaixão, tratando dos ferimentos da Fera quando ele se machuca por ela. Juntos eles desfrutam de momentos de leitura e discutem peças de literatura… ela o inspira a se tornar uma pessoa melhor, e ele lentamente começa a voltar à vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s